As províncias do Huambo e do Moxico contarão com a implantação de Liceus do projecto Colégios Eifel, uma iniciativa de responsabilidade social que a petrolífera francesa TOTAL E&P Angola leva a cabo há dez anos com o apoio das autoridades angolanas, visando o fomento do ensino médio técnico.

A garantia veio da responsável Adjunta da Divisão de Comunicação e Conteúdo Local, Horvanda Andrade, neste sábado (14.09), em Ndalatando, por ocasião da abertura oficial do agrupamento de 192 finalistas da Rede Eifel, representando as quatro províncias abrangidas, como sejam, Bengo, Cuanza Norte, Cunene e Malange.

Com a luz verde dada pela Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANPG), Concessionária Nacional e reguladora do upstream, caberá aos Governos do Huambo e Moxico a cedência de espaço, para se replicar o modelo de construção, e ao Ministério da Educação a alocação de professores. É esta a fórmula de sucesso.

Cada Liceu Eifel comporta 148 alunos. O investimento ronda os 16 milhões de Dólares Norte Americanos, ao passo que o custo global de gestão anual é de 1 milhão. O projecto incide no reforço de capacidades de professores e alunos do ensino público, introduzindo técnicas pedagógicas francesas. A taxa de aproveitamento é de 94%, tanto assim é que 80 finalistas já beneficiaram de bolsas em universidades e institutos franceses, 42 na Universidade Agostinho Neto e três no Burkina Faso.

Ao longo destes dez anos, a TOTAL assumiu os custos, sendo que com a aprovação da iniciativa pelo Estado Angolano, adopta-se doravante o modelo de custos recuperáveis, no âmbito da carta de projectos financiados pelo Bloco 32.

 

previous arrow
next arrow
Slider