Os documentos criam as condições para a celebração de um contrato de serviços com risco, entre a Concessionária e os parceiros do Grupo Empreiteiro do Bloco 18, e estabelecem um financiamento adicional para projectos de desminagem na ordem dos USD 6,1 milhões.

A Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANPG), entidade Concessionária, reguladora e fiscalizadora do sector no segmento upstream, assinou hoje, em Londres, dois acordos com a petrolífera britânica BP, à margem da Cimeira de Investimento Reino Unido-África.

Paulino Jerónimo

O primeiro tem como objectivo a aquisição de direitos de exploração do Bloco 18/15 no offshore angolano e define o processo e os termos gerais para a posterior celebração de um contrato de serviços com risco (CSR) entre a ANPG e os parceiros do Grupo Empreiteiro do Bloco 18. O Bloco, que já se encontra em produção, é operado pela BP e tem como parceiros a Sonangol Pesquisa e Produção e a Sonangol Sinopec International (SSI).

“Este é um Acordo de Princípios que nos permitirá voltar a ter um contrato e a consequente actividade de prospecção numa área com bastante potencial petrolífero e onde já temos algumas descobertas de óleo”, atestou o Presidente do Conselho de Administração da ANPG, Paulino Jerónimo, acrescentando que “a BP, na qualidade de actual operador do Bloco 18, está altamente engajada, o que aumenta a convicção de virmos a ter um programa de trabalho ambicioso.”

Stephen Willis

Por seu turno, o Presidente Regional da BP Angola, Stephen Willis, afirmou que a operadora “está entusiasmada com a oportunidade de testar uma nova área no offshore Angolano. As formações cretácicas do Bloco 18/15 apresentam boas oportunidades de exploração e potenciais desenvolvimentos, somados à conexão submarina (também conhecida como subsea tie-back) às instalações existentes na Área de Desenvolvimento do Grande Plutónio no Bloco 18.”

O segundo acordo firmado entre a ANPG e a BP diz respeito ao processo de desminagem em Angola, no âmbito das acções de responsabilidade social. Dá sequência a um memorando de entendimento assinado com a ONG The Halo Trust, visando o reforço do trabalho de desminagem na Província de Benguela até 2023. Os novos acordos estabelecem o aumento do financiamento para USD 6,1 milhões, partilhados entre fundos próprios e dos Blocos 18 e 31.

Da parte angolana, a cerimónia foi testemunhada pelo Ministro de Estado para o Desenvolvimento Económico, Manuel Nunes Júnior, pelo Ministro dos Recursos Minerais e Petróleos, Diamantino Azevedo, entre outros dignitários. Pela BP, estiveram presentes o Presidente do Conselho Executivo cessante, Bob Dudley, e o seu sucessor, Bernard Lomney.